domingo, 15 de novembro de 2009

LET'S MISBEHAVE

Faz tempo que não se monta nada de Noel Coward no Brasil. Quem nunca viu nada desse dramaturgo inglês, que brilhou nos anos 20 e 30, tem uma boa chance de entrar em seu mundo de elegância e tiradas ferinas no filme "Bons Costumes", em cartaz no Rio. À primeira vista, a trama é futilidade pura: uma famíia tradicional da Inglaterra se horroriza quando o filho mais velho traz para a imensa casa de campo sua nova esposa, uma - gasp - americana. Um choque de cuturas que nunca vai além das afinetadas, mas fica cada vez mais engraçado. Até que de repente a coisa fica séria, e percebemos que o que Coward faz é retratar o fim de uma era e o começo de outra. Não sou muito fã da Jessica Biel, que faz a americana; seu sorriso de 150 dentes me dá um pouco de aflição. Mas atóóóóron Colin Firth e Kristin Scott-Thomas, os pais do noivo, perfeitos como sempre. Ah, e atenção para a triha sonora. No meio de standards do próprio Coward e de Cole Porter, há músicas contemporâneas em arranjos de época, como "Sexbomb". "Bons Costumes" é uma comédia não-pastelão, mal-comportada e deliciosa de se ver.

Um comentário:

  1. Adoro Kristin Scott Thomas, mas confesso que ela é uma ótima atriz que não garante bons filmes (vide sua participação desnecessária em Missào Impossível). Sempre fico com um pé atrás...

    ResponderExcluir