sexta-feira, 9 de outubro de 2009

SEU MAÇON, FAÇA O FAVOR

Eu devorei “O Código Da Vinci”. Aquilo não é literatura, claro, mas entretenimento do bão, com a dose certa de pretensão e água benta. Os capítulos curtos parecem cenas de cinema; é de fato impressionante que o filme tenha saído tão ruim, porque o roteiro já estava pronto. Agora estou lendo “The Lost Symbol”, o novo do Dan Brown, e se não soubesse que se trata do mesmo cara ia estar acusando o autor de plágio. As semelhanças são avassaladoras: um crime acontece num lugar de importância planetária (o Museu do Louvre no “Código”, o Congresso americano aqui), envolvendo um amigo e mentor do “simbólogo” Robert Langdon. E o culpado é uma figura bizarra de nome exótico (lá um albino, aqui um careca tatuado), interessado nos segredos de uma organização misteriosa (lá a Opus Dei, aqui a maçonaria). Nada disso seria problema se “Symbol” fosse um bom livro: não é. Dan Brown cria suspenses forçados, dá explicações óbvias, telegrafa as revelações e tem uma mania irritante de escrever em itálico quando quer estressar alguma coisa. Tremo em pensar a porcaria de filme que vai sair disto.

7 comentários:

  1. Meu Deus... eu odiei o Código, o livro não consegui ler, tentei mas não engrenei e achei que parecia um roteiro de publicidade. Então resolvi esperar o filme mesmo, mais prático. Quando eu vi o filme fiquei horrorizada. Como assim! Aquilo é uma tentaiva de ser Humberto Eco em O Nome Da Rosa mas sem nenhuma base de nada, aquela história da Jesusa mulher é patética. Nem vou passar perto desse outro, bleargh.

    ResponderExcluir
  2. O mais legal é que o tamanho da fonte do nome do autor é quase tão grande quanto o nome no livro na capa.

    Dan Brow já virou uma marca para livros de entretenimento, assim como Almodovar e Allen estão para o cinema mais "cabeça".

    Beijo, meu gato!

    ResponderExcluir
  3. Eu nunca li nenhum dos livros dele, mas já posso adiantar: o final será surpreendente e quando você achar que a trama terminou, ainda tem mais uma surpresa guardada.
    HÁ! PEGADINHA DO DAN BROWN!

    ResponderExcluir
  4. Tudo que vc escreveu sobre The Lost Synmbol foi o que achei de o Código Da Vinci. Livro chaaaaaaaaaato. De Dan Brown só admiro a conta vancária.

    ResponderExcluir
  5. Trilhando os passos do Paulo coelho (sic)!!

    ResponderExcluir
  6. Valeu pela dica.
    Eu tb devorei “O Código Da Vinci” e já estava de olho neste...

    Ah... Eu leio seu blog, viu?

    bj
    Claudio Niteroi (como vc me chama)

    ResponderExcluir