segunda-feira, 26 de outubro de 2009

LOBA BOBA

Por quê é que 90% das cantoras precisam gemer e rebolar para fazer sucesso? Sim, eu também estou ficando enjoado das "peruas do pop", como lembrou o Daniel a partir de uma crítica que saiu no jornal "O Globo". Shakira é uma delas, e eu acho que essa cachorrice toda acaba ofuscando seu talento musical, que é sincerinho. Ela tem um vozeirão e anda compondo muito bem. Mas quando pensamos em Shakira, o que vem à cabeça é sua dancinha insinuante e suas poses vulgares. "She Wolf" é o primeiro CD de sua já longa carreira que é bom do começo ao fim. Os outros discos de ms. Mubarak eram meio desfocados, misturando pop, rock e influências árabes em faixas bastante desiguais. Aqui ela conseguiu fazer um trabalho consistente, melodioso, sem uma única balada (seu ponto fraco: ela sempre soa trágica quando diminui o BPM). Talvez por isto "She Wolf" seja tão curto - dura apenas 40 minutos, e, das 12 músicas, 3 são repetidas em versões en español. Aliás, Shakira está mesmo ficando americanizada: fez sozinha as letras em inglês, mas precisou da ajuda de Jorge Drexler para vertê-las à sua língua natal. Não faz mal. "She Wolf" é moderno sem ser vanguarda, e ficaria ainda melhor se sua autora não insistisse na bobagem de parecer uma rameira.

10 comentários:

  1. O André Mans desceu o pau nesse CD no blog dele. Vc adorou. Queria ver o que o Estefanio acha, isso sim ;)

    ResponderExcluir
  2. E desceria de novo.
    Um dos piores cds da década.

    E a discórdia é uma delícia não?

    ResponderExcluir
  3. Ainda preferia quando ela cantava só em espanhol. Eu amo o "donde están los ladrones".

    ResponderExcluir
  4. acho q o Estefânio prefere "a melhor amiga vietnamita" dele dublando She Wolf... hehehehe

    ResponderExcluir
  5. Em espanhol, ela soa bem. Em qualquer outra língua, parece que ela tá sentada no trono depois de ter comido um balaio de jabuticabas.

    ResponderExcluir
  6. Concordo. Eu adorei o CD. Tenho ouvido sem parar.

    ResponderExcluir
  7. O que eu acho mais incrível em tudo isso é ver que Roque Laraia nunca esteve tão certo. Cultura é realmente um conceito antropológico. A Joelma veste quase as mesmas roupas, faz quase as mesmas danças que suas colegas temperadas e é considerada trash pela sociedade sudestina cosmopolita... a mesma sociedade que dança a mesma qualidade das músicas da Joelma, mas mixadas e em línguas não hispânicas. Quando é que o pessoal do Museu Nacional da UFRJ vai baixar na The Week para fazer tese, hein?

    ResponderExcluir
  8. AMEI o comentário do Rodrigo. Precisei ir até Estocolmo e ver os hype-ultra-mega-cools suecos enlouquecerem ao som de "Rap das Armas" para entender que muitas vezes pagamos pau de mais para gringo... quando temos as mesmissimas coisas no Brasil e insistimos em meter pau nelas.

    ResponderExcluir
  9. Deus me livre. Ela parece uma galinha cantando.Só cacarja.

    http://vertigop.bogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Shakira sempre foi ótima, e acho seu canto mais que 'sincerinho', acho bom. Pero que está una ramera? Total!

    ResponderExcluir