quarta-feira, 11 de março de 2009

QUER DIVIDIR ALGUMA COISA COM OS AMIGOS?

Hoje tem um assunto incontornável: o comercial homofóbico de Doritos. O Celso Dossi postou ontem, dizendo que nem tinha achado assim tão grave, mas que estava tomando as dores de um amigo que se sentiu ofendido. E aí começou a polêmica. Até agora o Celso já recebeu 52 comentários, uns dizendo que o filme não tem nada de mais, outros propondo reclamação ao Conar e boicote aos produtos da Pepsico (a holding que controla a Elma Chips, fabricante do salgadinho). Estou entre esses últimos. A propaganda é homofóbica sim, gente, não há como negar. Se a intenção era tirar sarro da dancinha ridícula do garoto, então que tocassem a "Macarena", como o próprio Celso reparou, ou "Aserejé", ou "A Dança do Passarinho". "YMCA" é um hino gay. A letra é cheia de insinuações, pois até os anos 70 - época em que a música foi lançada - a Associação Cristã de Moços era famosa pela pegação que ocorria em seus vestiários (talvez ainda seja; não é um lugar que particularmente me interesse). E era cantada pelo Village People, faça-me o favor. O que o comercial diz claramente é: "não saia do armário, você vai levar merecidas porradas".

Sou publicitário, e sinto dizer que o meio é extraordinariamente preconceituoso. Há pouquíssimos gays trabalhando na minha área, a criação. Mais do que quando eu comecei há mais de 25 anos, mas ainda poucos. Sim, a homofobia e as brincadeiras bobas diminuíram - mais de uma pessoa já veio me pedir desculpas por alguma gracinha inapropriada, e eu geralmente não estou nem aí. Sim, eu também faço piada de bicha. Porque há muito do que se rir de uma bicha: o senso fashion equivocado, a sexualidade exacerbada, a alienação ao resto do mundo. Tudo caricatura de coisas que ocorrem, sim, na vida real. Mas tirar sarro da sexualidade reprimida de um adolescente? Isto agora é off-limits. Não pode. O que a agência - se não me engano, é a Almap/BBDO - e o cliente estão fazendo é brincar com a insegurança típica dessa faixa etária, um dos períodos mais difíceis da vida. E estão perpetuando o preconceito e a homofobia.
Vão dizer que não temos "senso de humor". Temos, assim como temos dinheiro. Este não verão tão cedo. O Daniel e o Pavinatto estão convocando um boicote, e eu já aderi. De hoje em diante, produto nenhum da Pepsico entra na minha casa ou passa pela minha boquinha. Também já fui no site do Conar e fiz minha reclamação; faça a sua você também. Quer dividir alguma coisa com os amigos? Divida sua indignação.

35 comentários:

  1. Ai, esse final de semana comprei várias latas de atum coqueiro para continuar seguindo a dieta. Mas tudo bem, com relação aos outros produtos dá para seguir o boicote tranqüilamente. By the way, também achei a propaganda homofóbica. Sutil, mas homofóbica.

    ResponderExcluir
  2. Tony, eu não achei a propaganda homofóbica. Achei é muito conectada com a realidade. A carinha de estranhamento dos amigos quando o rapaz solta naturalmente a passarinha não é nossa velha conhecida? Todo viado percebe, mais cedo ou mais tarde, que é diferente dos amigos HTs. É a nossa realidade, a gente gosta de outras músicas, dança de outro jeito, olha para os caras e uma hora ou outra isso aparece. Os jovens gays mais antenados percebem o que são, percebem que os amigos não vão achar legal e ficam na sua. Mantém os amigos, permanecem no grupo - que é o mais importante fator de identificação para o adolescente - e escolhem a hora que vão sair do armário. Geralmente, é na hora em que o grupo deixa de ser tão essencial assim. Outros meninos, mais ingênuos, vão se soltando meio sem querer, meio querendo, os amigos percebem e a biluzinha acabam tomando na cabeça. Adolescência, Tony, como você mesmo diz, é complicada, não só para gays, mas também para os quarterbacks, para as cheerleaders, para os nerds e para os outsiders. Nesse vai-e-vem, em que você fica anos de sua vida procurando uma identidade, alguns se acham, outros ficam perdidos no estereótipo. Daí, vem um publicitário (que eu não conheço) e faz uma piada bastante boa sobre essa saída do armário e nós, ofendidíssimos e sem o menor senso de humor, vestimos o estereótipo de um bando de drama queens e conclamamos um boicote. Que mau humor! QUe falta de savoir-vivre! Vi duas, três vezes a propaganda e acho que ela retratou de uma forma bem-humorada e sutil uma experiência que a maioria de nós já teve. E, azar da marca, mas o toque que o narrador dá no final é mais-do-que-perfeito: amigo, tem gente com quem a gente só pode dividir mesmo é um pacote de Doritos. Grande abraço e continuo adorando teu texto.

    ResponderExcluir
  3. Tony, belo texto! Harvey Milk neles!!! Olha, acho que este post somado ao que fala sobre o abaixo assinado gay, pode nos levar a uma conclusão já sabida e exercida pelo ativista de Los Angeles... É na hora do din din que o respeito às minorias aparece! E se há uma coisa que pega todo mundo é a cutucada no bolsoooo, né não? Olha só, casamento gay eu nem me preocuparia, sabe, porque aí a bicharada vai viver o que inferniza os héteros: obrigações legais, divórcio, "meu bem" que se transforma em "meus bens", etc, etc. O respeito e o reconhecimento da força dos gays acho que virá da força econômica que este segmento representa, afinal, é prá isso que serve entender a dinâmica do capitalismo e já que não se pode mudar, joguemos as regras deste jogo! Bibas, unidas, jamais serão vencidas!!! Vê aê quem quer abrir mão de consumidores antenados, hipersociáveis e com dinheiro no bolso, heim, heim? Um beijo e apoio total na empreitada!

    ResponderExcluir
  4. concordo com o tony, tb sou publicitario e é um ambiente bastante preconceituoso, trabalho em outra area, mas nao menos homofobica, cheia de piadinhas e extremamente careta, uma gente sem vida q nem parece morar numa grande cidade, muitas vezes me sinto la no inteior do rabo do brasil de onde vim, la de baixo. ate digo q nao fosse eu um gay q nao da realmente a menor pinta e q com minha sexualidae passo totalmente desapercebido no ambiente nao teria vencido e progredido, outros nao resistiriam,ou mesmo teriam sido expelidos deste ambiente com outras desculpas, mas no fundo pura homofobia. o meio publicitario brasileiro é cercada de caretice e preconceito. Por isso, nao espanta escapar este sentimento na criaçao e aprovaçao de peças como esta. q tb nao achei tããão preconceituoso mas reflete o ambiente.

    ResponderExcluir
  5. Uma abordagem ainda não muito explorada, mas igualmente NOJENTA...a própria homossexualidade como algo que vc deva "poupar os amigos de tamanho desgosto". Impressionante como escrafuncham até acharem mais um nervo exposto e maquiam como piada.
    E, Tony quanto a fazer piada de bicha, não tem problema nenhum... Gay pode fazer piada de gay, negro pode fazer piada de negro, judeu pode fazer piada de judeu... e SÓ!

    ResponderExcluir
  6. Fora que uma agência de publicidade ser propagadora de preconceitos, seja contra gays, loiras,nerds,etc é um absurdo.
    Ótimo que todos os produtos tem substitutos a altura e a preços mais baixos.Simples, não gostei do comercial não compro.
    O preconceito no Brasil é sempre sutil assim. Que tomem atitude firme, retirem o comercial do ar e não me venham com a história de que não era a intenção. Chega de gente que não assume o que faz. Essa desculpazinha já era. É incompetência mesmo.

    ResponderExcluir
  7. Fico impressionado como as "beeeshas"sao maldosas em tudo,e enxergam coisas q vc só enxerga depois...nao vejo nada em homofobico neste comercial,e simplesmente essa musica ,e´mto chata na visao de 3 adolescentes(o q realmente tb acho),e eles nao querem dividir o som com uma pessoa q acha o som maneiro ou dancante ,de repente os outros preferem um hip hop,um rock,etc...fazer abaixo assinado contra isso??? ,existem coisas muito mais importantes pra fazer abaixo assinado ...isso mostra o complexo ou a capa q se cria vc sendo negro ,gay,judeu,evangelico,etc...pelo amor de Deus,nao vamus perder nossa ingenuidade e deixar q tudo seja motivo de conflito e discussao por besteiras,sou a favor de respeito e valor aos nosssos direitos,agora interferir na criatividade de uma pessoa,q foca num publico jovem,de repente numa outra linguagem,somente por puro preconceito ou "complexos",é pura ignorancia ou maldade...acho melhor procurar um terapeuta,analise djá,isso e´coisa de mulherzinha ou mariquinha,fala sério,hahahhha...alias pra finalizar sou publicitario e gay...

    ResponderExcluir
  8. Achei homofóbico. Aliás, quando vi pela primeira vez, fiquei me perguntando: eles fizeram mesmo? Há o comercial do metaleiro cantando Fábio Jr, dos "amigos para sempre", mas eles tinham que fazer este? Achei a mensagem final triste, mas o pior é o rapaz no banco de trás, que fica cutucando os amigos e deixando transparecer: "olha, que bicha ridícula"... Temos mesmo que boicotar e protestar. Senão, nunca vai parar.

    ResponderExcluir
  9. Acabaram de me deixar um comentário dizendo que é triste ver uma cabeça tão pequena (a minha, no caso).

    A vida deve ser mais fácil (mas não mais feliz) para quem só enxerga o que quer.
    Bjs e saudades.

    ResponderExcluir
  10. O comercial apresenta um sério problema: NÃO TEM A MENOR GRAÇA. Só isso.

    ResponderExcluir
  11. Ah, e sobre o comercial "não ter graça": pobre da alma que acredita que a epifânia da publicidade é ou fazer uma piadinha ou um trocadilho.

    ResponderExcluir
  12. Eu achei engraçado. Uma piadinha boba com um conceitinho bem fraquinho mas engraçado. O que mais me choca é o saco indo pra frente da cara do menino. Porque os amigos dele no carro estão achando estranho mas não estão falando nada. Não estão tirando sarro, nada. É o locutor, a voz do fabricante, que diz toda a homofobia: não divida coisas desconcertantes com seus amigos. E bum! saco na cara do menino. Eles deveriam ter sido mais inteligentes e dizer: "você sempre acaba dividindo tudo com teus amigos. Cheetos!" é da Almap? Podem mandar o cheque lá pra casa e usar essa minha assinatura, OK?

    ResponderExcluir
  13. Se o comercial é bom ou ruim é irrelevante, mas a mensagem é; Se você tiver um minimo traço de boiolice, por favor reprima, finja que não tem e poupe quem o rodeia de sentir-se envergonhado porque isso é bizarro.
    Se isso não é preconceito ,não sei o que é. Acho que pensam que preconceito é só coió.
    Explica muito o porque nosso país é o antro da corrupção. Muito deixa pra lá.
    Mesmo assim,, PepsiCocô, No way!

    ResponderExcluir
  14. Não se reprima!
    Não se reprima!
    Não se reprima!
    ooooohhhhhhhh

    ResponderExcluir
  15. To confuso! tinha achado uó, mas depois de ler o que todo mundo postou aqui, to achando que pode nao ser... de qq forma, acho saudavel a discussao..

    ResponderExcluir
  16. Tony, acho que pior de tudo é saber que foi feito por um publicitário e aprovado pela marca ou pela equipe, e que seja.
    Amo Publicidade e Propaganda, até estranho se isso seja mesmo um comercial aprovado, não o vi em nenhum lugar, mas é de FUDER...!
    Isso não foi uma estratégia boa, e sim burrice que todos podemos cometer... mas parece que quiseram insistir nisso, e deu no que deu!
    Pode ser que não tenha sido uma piada homofóbica? Sim, pode. Mas pra que um comercial desse?
    Mudando de assunto, penso que a preocupação e desconforto maior do mundo-não-GAY, é a forma comportamental dos gays. Travesti é homossexual, um gay tbém. Só que um travesti é um TRAVESTI e um gay é um homem, afemindo ou não!
    A questão, penso eu, é na forma de o homossexual se comportar diante dos não-gays. Blz, ok! O que tem isso haver? ...($&%¨&$%*%%$)
    Penso tbém que a forma de acabar com a discriminação (que no meu pensar, hoje vc ter preconceitos é normal, porém certos tipos de preconceitos é falta de conhecimento, burrice, ignorância e falta de conteúdo, o caso) é na forma de exigir os direitos e de como isso é exigido!
    Na parada gay, peito de fora não faz revolução! Ou faz? rsrs
    O outro mundo, fala e crítica o que vê. Sim, mas nem tudo é ridículo. E nem tudo que se vê e se interpreta, tem de ser dito!
    Agora, Tony, vc é gay? rs

    ResponderExcluir
  17. Tony, definitivamente estou dentro do boicote, apesar de achar o Toddy um ótimo chocolate em pó. Mas o que queria dizer mesmo é que, a sutilidade da propaganda é tamanha que os mais desatentos podem até não ver a homofobia. Eu vi o vídeo três vezes até que ele pudesse tocar na ferida. E tocou, ao final da terceira vez. Agora, queria ver esse boicote dar certo do mesmo jeito que quero ver a comunidade gay se unir não pra sair nas ruas para seguir um trio eletrico e sim para uma causa política, apesar de seguir o trio ser muito divertido. hahaha

    ResponderExcluir
  18. Fala sério!!! nao tem nada demais nisso... tempestade em copo d´agua!!! Vamos pensar assim... Porque estaria tocando o HINO GAY em um carro onde estao 4 supostos Heteros??? Se fosse assim todos seriam gays... Eles estao tirando sarro da dancinha ridícula q o cara faz!!!

    ResponderExcluir
  19. ... e sem falar que Doritos engorda pacas... e eu bem perderia uns minutos com o ruivo, ho ho ho

    ResponderExcluir
  20. Parece que tudo já foi dito aqui nos comentários: que pode nem ser preconceituoso, que pode ser preconceituoso. Mas, enfim, Marta disse tudo. O preconceito, caso exista, vem no momento da fala do locutor, na mensagem da empresa, que pagou (e aprovou) a campanha e a veiculação (aliás, alguém viu isso na TV? eu não vi). Eu adoro Tody, Pepsi-Cola e Gatorade. Mas me lembrarei do comercial quando me deparar com os produtos ao lado de seus similares nas prateleiras. Minha tolerância e meu humor vão determinar, no momento, qual dos dois vão me engordar mais um pouquinho.

    ResponderExcluir
  21. Senti o mesmo mal estar quando vi a primeira versão do comercial (já há outra com o mesmo mau gosto). Meu único alento é ler um texto consciente e preciso como o seu! Um abraço. Cris

    ResponderExcluir
  22. pois eu acho que essa reação toda é mais uma prova de que importamos para o brasil o pior do que existe do politicamente-correto americano.
    que é primo-irmão do eco-chatismo.

    vamos escolher melhor as causas para revolta?

    ResponderExcluir
  23. o pior é a turma do deixa-disso, que acha graça em tudo, que já se acostumou a ser ridicularizado sempre. o comercial é ruim, mas a mensagem é bem clara...

    ResponderExcluir
  24. Papaiiiiiiiiiiiiiii, da pra liberar ao menos os salgadinhos???

    ResponderExcluir
  25. Não achei nada demais... Sinceramente, achei viadagem pura essa repercussão toda! Talvez o preconceito esteja nos olhos do viadeiro que se sentiu ofendido.

    ResponderExcluir
  26. Se você é publicitário E PRECONCEITUOSO, o problema é seu. Se o seu meio é preconceituoso, te aconselho a trocar de agência, pois não é tudo assim não. O preconceito está nos olhos de quem vê.

    ResponderExcluir
  27. Ihhhhhh chamou a mãe de piriquita!!!!
    Viadeiro heim? Olha só...quem diria...

    ResponderExcluir
  28. Queria muito ver a agência ter culhão de fazer, na sequencia, um comercial com um paraplégico, tipo assim: o garoto na cadeira de rodas se esticando todo prá alcançar o pacote de Doritos na prateleira alta, passa alguém, olha prá ele esquisito, pega um Doritos e sai. E a mensagem:
    - Se tá tão difícil, vai ver que não é pra vc... pega o salgadinho mais vagabundo na prateleira de baixo mesmo.

    Legal tb, né?

    ResponderExcluir
  29. Com exceção do rapazinho ao lado do motorista, todos os outros comem Doritos. Dois deles, os moçoilos no banco traseiro, devoram um pacote e é muito provável que também o faça o condutor do veículo, como diria a Polícia Rodoviária, pois rumina algo, e não deve ser chiclete, pois a Pepsico não tem tal produto em seu portfólio. "Você quer dividir algo com seus amigos? Divide um Doritos". Moral da estória: você não come Doritos, você não é dos nossos. E se quiser dividir algo, que seja Doritos, não a sua dancinha de boiola.

    ResponderExcluir
  30. Estou aqui na Espanha, estudando, e não imagino um comercial do gênero aqui. Não que todas as pessoas sejam liberais e não tenham preconceito ou porque este seja um país onde gays podem se casar e não são cidadãos de segunda categoria, como é no nosso (onde pagamos os mesmos impostos e não podemos fazer sequer uma declaração de renda a dois). Aqui empresas do porte, incluindo a própria Pepsico, sabem que se mandam ao ar uma peça aparentemente inofensiva, mas que esconde mensagens de reafirmação do preconceito, no dia seguinte haverá, sim, boicote. Por que todo gay que usa mais de sua criticidade é visto como bicha amarga ou rançosa? Nós brasileiros contemporizamos tudo. Não gostamos de discussão, de confronto de ideias, de debate com fair play. Esta nossa alma de povo cordato nos faz pensar que isso é coisa que não constroi e desagrega. Jogamos sempre um pano quente encima de tudo. Por isso, o apelo ao "gente, cadê o senso de humor", "ai, esse bate-boca é viadagem" e "não vi nada demais". Quem acha este comercial engraçado (e não é, é muito chato!), o debate irrelevante e sinal de frescura e não vê nada senão o que se vê, tal qual um burro que tem os lados dos olhos tapados para caminhar pra frente sem olhar para os lados, está ajudando a passar mais uma camada de verniz na cara hipócrita que ostentamos cotidianamente. Fazemos isso com o racismo, de uma maneira quase que profissional, dissimulando nossa discriminação. Vamos fazer o mesmo com a homofobia?... Já avançamos muito em pouco mais de uma década, mas seguimos sendo um país homofóbico, que mata gays cmo se fossem patos em estação de caça e que vê de forma natural achacalhar o adolescente "diferente", "estranho"ou "esquisito". A gente sabe o dano que isso nos causou. Vamos contemporizar uma vez mais e achar que isso é "realidade". Pois mudemos a realidade, pouco a pouco, debatendo, protestando e até, se preciso for, coicotando, sim. Não "abafando o caso", como costumamos fazer.

    ResponderExcluir
  31. Hehehehehe... E as constantes apologias ao homossexualismo podem?

    Esta notícia pode ser considerada uma ação heterofóbica, não é? Não demora e vocês tentarão excluir a vida heterossexual do noticiário alegando que todos heterossexual ‘não simpatizantes’ são homofóbicos, numa heterofobia hilária ou histérica...

    O Dudu Nobre, fazendo a propaganda de sua cerveja baixa renda (que nem mendigo que beber) diz: “Leve uma vida SEM FRESCURA!”

    Então, é isso. Pare de frescura, porra! Ninguém é contra nada. Foda-se! O negócio é de vocês, emprestam para quem quiser, mas não faça propaganda.

    Querem adotar filhos e serem chamados de ‘mamães’; Exigem que os hospitais do SUS que nem consegue atender as pessoas normalmente, façam cirurgias de troca de sexo; Fazem propaganda a favor do aborto...

    E vem com essa, querendo impedi um simples comercial? QUE PORRA DE DITADURA GAY É ESSA? Pare de frescura!

    Seja o que quiser e deixe que os outros, também, tenham o direito de ser macho hetero, porra! Ninguém pode ser obrigado a ser simpatizante (bi)!

    Comé?

    ResponderExcluir
  32. Ditadura Gay? Exclusão da vida heterosexual? Amigo, vc devia pensar um pouco mais antes de falar. Todos os dias da minha vida o que eu mais vejo são casais heteros se beijando e se agarrando em shoppings, praças, ônibus e metrô. Isso é ditadura gay? Agora me diga, quantos casais gays vc vê se agarrando aí em plena luz do dia? Muito poucos, pq com certeza rola barraco quando dois gays decidem demonstrar afeto em público.

    O que eu acho mais absurdo não é o preconceito ou a tolerância ao preconceito, mas essa coisa de hetero achar que são eles que sofrem o preconceito. Ou achar que qualquer crítica ao preconceito é uma crítica ao heterosexualismo. Que coisa mais absurda.

    Não projete os seus sentimentos nos outros, amigo. Nós gays não queremos que todos sejam gays. Defendo o seu "direito de ser macho hetero" (apesar de estranhar que vc precise defender isso, quando é que isso foi ameaçado?).

    Nunca entendi quem acha que "ser macho hetero" significa não poder tolerar gays.

    ResponderExcluir
  33. Valdemir Gouveia30 de maio de 2009 09:56

    Eu vi uma estranheza dos amigos com uma música puta ridícula. Vocês ficam procurando chifres em cabeça de cavalo. Praticam uma intolerância maior do que a que reclamam que de que são vítimas.

    Dêem uma olhada nesse comercial argentino.

    http://www.youtube.com/watch?v=KZM4ur2A8AU

    ResponderExcluir
  34. Back to boycott?
    http://adsoftheworld.com/media/print/cachaca_magnifica_film?size=_original

    ResponderExcluir