quinta-feira, 11 de setembro de 2008

SAFRA FRACA

Qual será o filme brasileiro recente que terá a honra de ser rejeitado pela Academia de Hollywood? Foi a pior safra nacional em muitos anos, tanto em qualidade quanto em público. Dos 14 títulos que concorrem à indicação para a indicação a melhor filme em língua estrangeira, assisti 7 - provavelmente, muito mais do que a maioria dos espectadores. Meu favorito é o único campeão de bilheteria da turma: "Meu Nome Não é Johnny", divertido e conseqüente, desde janeiro na minha lista dos melhores de 2008. Mas acho que não tem a menor chance, pois, apesar de ser uma história de redenção, foca muito nas drogas, assunto indigesto para os Oscars. Vi "A Casa de Alice" no final de 2007, e achei muito bom; em restrospecto, é uma espécie de versão-classe-média-baixa de "Linha de Passe" (que, misteriosamente, preferiu nem se inscrever). Mas também é lacônico e desesperançado demais para emplacar entre os cinco finalistas. "O Passado" também é bom, mas é argentino de corpo e alma. E muitos são simplesmente umas bostas, como "Era uma Vez", "Os Desafinados" ou "O Signo da Cidade". Para complicar as coisas, o indicado-barbada, "Tropa de Elite", desperdiçou suas chances ao tentar a vaga no ano passado. Resta "Última Parada 174" de Bruno Barreto, o mais novo exemplar de FBP (filme-brasileiro-de-pobre), que só estréia em outubro. Barreto (meu primo em terceiro grau) já foi indicado antes, e sua família conhece as engrenagens do cinema por dentro e por fora. Mas será que, mesmo em Hollywood, alguém ainda tem saco para tanta favela e tiroteio?

4 comentários:

  1. Pois é, Tony. Ano passado eu tinha acertado pela lógica a indicação. A escolha foi baseado em "filme que tem um garotinho do tipo que a Academia costuma apreciar". Este ano, não vi tantos como você. E parece meio que óbvio escolherem "Meu Nome Não É Johnny", talvez pelo sucesso e pela história de superação, como vc já disse.

    E eu ainda bato na tecla que deveríamos ter filmes sobre a vida de grandes personalidades brasileiras, de fama mundial. E o filme sobre Santos Dumont, que ouvi falar algum (muito) tempo atrás, afundou? Ou uma biografia séria sobre Pelé, Senna (porém duvido que as famílias permitiram contar as partes mais "podres" de ídolos como esses)...

    Imagino que super-produções, devido ao custo, estão fora de questão. Alguém já imaginou um filme sobre a Guerra do Paraguai?

    ResponderExcluir
  2. ...'"A CASA DE ALICE"....DA UM BANHO ...CINEMA PURO!

    ResponderExcluir
  3. gente como assim né? como Era uma vez foi indicado a alguma coisa?
    ALGUÉM EXPLICA?????

    ResponderExcluir