domingo, 30 de setembro de 2007

OFFER E EU

Podem me chamar e me pedir e me rogar. E podem mesmo falar mal, ficar de mal que não faz mal. Podem preparar milhões de festas ao luar que eu não vou ir, melhor nem pedir, eu não vou ir, não quero ir. E também podem me entregar, até sorrir, até chorar, e podem mesmo imaginar o que melhor lhes parecer. Podem espalhar que eu estou cansado de viver e que é uma pena para quem me conheceu... Eu sou mais você e eu.

IMORTAIS ACADÊMICOS

Só faltou servir chá com bolinhos. Pelo menos dez blogs estavam representados no esquenta pré-Offer lá em casa, quase uma Academia Brasileira de Blogueiros: Carioca Virtual, Introspective, Ah! Libanesa!, Renateeeeeeeeenho, Marco Aurelius, Religare, Made in Brazil, RH do Inferno, euzinho e - last but not least - Lindinalva, a empregadinha, o mito, pelo telefone, ao vivo e a cores direto de Piraporinha. Claro que ainda tinha mais umas trocentas pessoas, das quais eu não conhecia nem a metade. Mas tudo correu sobre carretéis. O gelo e a bebida deram na conta, ninguém quebrou nada de valor, e quando deu uma hora o povo começou a se mandar pra Universal, olha só que civilizado. E nenhum vizinho reclamou!

sábado, 29 de setembro de 2007

GAY ROYALTY

Antes que me mandem pra guilhotina: a expressão aí de cima não é minha, é de um ameeego que também estava no almoço dos três anos da The Week, que rolou esta tarde no Thai Gardens de São Paulo. Sem pulseirinha, sem lista na porta, tudo "bip" (como se diz na Argentina) pra valer. Só trinta eleitos desfrutando de um bufê tailandês tão picante que até os drinks tinham pimenta. Que delícia poder conversar com a Grá mais do que os 20 segundos habituais na entrada do clube. Que delícia falar um tempão sobre tendêêências musicais com um desconhecido simpaticíssimo, e depois descobrir envergonhado que era o DJ Moraes, ums dos três Angels. E que delícia ficar sabendo de alguns dos planos para o futuro próximo da melhor boate da América Latina. Não, não posso postar aqui, pois quero ser convidado para o almoço do ano que vem. Depois ainda demos um pulo na loja do Fause Haten, pra mais uma festeeenha. E dali direto para o obrigatório sono da beleza. A noite vai ser loooonga...

É TUDO PUTA!

Quando começou o último capítulo de "Paraíso Tropical" e a Bebel foi em cana, eu pensei: fodeu. Por um minuto, até acreditei nos boatos que a puta mais amada do Brasil iria morrer num aborto mal-feito. Mas esqueci que se tratava de Gilberto Braga... Claro que ele deu a ela um final "feliz": Bebel terminou a novela envolvida com um senador, depondo na "CPI do biocombustível", e radiante porque iria sair nua numa revista. E ainda acrescentou: "meu sonho mesmo é ser apresentadora de TV". Até que enfim alguém teve o culhão de dizer - ainda que por vias indiretas - que a Mônica Veloso é uma tremenda duma putana.

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

DISCO IBIZA LOCOMIA

Útlimos momentos em Bs. As.: daqui a pouco vou pro aeroporto e volto para São Paulo, onde um fim de semana mega-babadex me aguarda. Pra ir esquentando os tamborins, aqui vai mais um comercial argentino que me deixa passado na yerba mate. É da agência Madre, filial portenha da chocrível Mother de Londres. E o anunciante é a fernet 1882: vale a pena buscar a campanha toda no YouTube, quiçá a mais alucinada de todos os tempos. ¡Es re diver!

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

EL GATO CON LA PIPA

Há até uns dez anos atrás, o Brasil era uma potência mundial em criatividade na propaganda, e nuestros hermanos latino-americanos nem sonhavam em ameaçar nossa hegemonia. Hoje a situação é bem outra: a Argentina já é o 3o. país mais premiado em Cannes, enquanto que os brasileiros só ganham leões com anúncios-fantasma. Existem várias razões para isto, e eu vou dar o meu pitaco. Sei que vão me xingar, mas acho que o nível criativo tupiniquim caiu desde o Plano Real, porque milhões de pessoas, que antes não podiam, passaram de repente a consumir. E a propaganda teve que se simplificar, para ser entendida pela plebe ignara (aliás, acho que isso aconteceu com toda a nossa comunicação de massa, principalmente a TV). Que inveja dos comerciais argentinos, cada vez mais sofisticados e inteligentes… Veja só este, que ganhou Leão de Ouro este ano. Eu quero um cliente assim!

HOMBRE FATAL

Ricardo Darín é uma espécie de Gérard Depardieu dos pampas: está em todas, e todo mundo gosta dele . É o “alpha male” do cinema argentino. E como seu colega francês, também anda se metendo a “metteur-en-scène” - o campeão de bilheteria aqui em Buenos Aires é “La Señal”, cujo comando ele assumiu depois que Eduardo Mignona, o diretor original, bateu as botas. O filme é soberbo nos quesitos fotografia, figurino e direção de arte. Parece até que foi filmado em preto-e-branco, e depois colorizado no computador. Mas o ritmo é lento e a trama é um pouco clássica (e previsível) demais: um detetive particular é procurado por uma mulher fatal, se apaixona por ela, as coisas se complicam… Fiquei esperando uma reviravolta ou algo do gênero, pero nada de nada. De qualquer modo, aos 50 anos de idade o Darín continua batendo um bolão.

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

O ANO EM QUE MEUS PAIS ENCHERAM O SACO

Errei, errei sim. Apostei que “Tropa de Elite” seria o nosso candidato a uma indicação ao Oscar de filme estrangeiro. Mas acho que o comitê brasileiro errou mais: “O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias” só é atraente para a Academia no papel. O que se vê na tela é um ator mal escolhido (algo surpreendente em se tratando de Cao Hamburger, um especialista em crianças) e um roteiro com clichês do tipo meninos-espiando-as moças-se-trocando-no-vestiário. Só a música me emocionou de fato. Mas tomara que eu esteja errado de novo, e “O Ano…” emplaque entre os finalistas. Lourival, você bem que avisou!

PRIMAVERA PORTEÑA

Hoje na hora do almoço inventei um conference call importantíssimo e fugi. Ao invés de comer maaais uma vez com os hermanos do workshop, corri do Hilton de Puerto Madero até a Musimundo da calle Florida, que graças a Deus continua no mesmo lugar (loja de CD é que nem blog de fofoca, some uma atrás da outra). Depois de me abastecer de electrotango, engoli um sanduíche de miga nas Galerias Pacifico e um cucurucho de DDL Tentación no Freddo. Thiago, não deu tempo de experimentar os sorrentinos meus xarás no Broccolino, mas fui até lá e tirei uma foto da fachada. Después te la envio, pelotudo.

CADÊ "PERSÉPOLIS"?

Devo estar ficando velho. Leio a lista dos filmes do Festival do Rio e a dos já confirmados para a Mostra de SP, e nenhum título - repito: NENHUM - me faz subir nas tamancas. Claro que quero ver quase tudo, mas este ano não tem nada que me deixe realmente desesperado. Além do mais porque o meu queridinho "Persépolis" não está programado para nenhum dos dois lugares. Como assim?? "Persépolis" é, surpreendentemente, o escolhido pela França para concorrer ao Oscar de filme estrangeiro - e é uma dupla surpresa, porque se trata de uma animação e se passa quase toda no Irã. Mas é a primeira obra em muito tempo que ousa atacar o regime insano dos aiatolás, aqueles enforcadores de viadinhos que estão levando o Irã para a beira do abismo. Só um senão: a voz da personagem principal é feita pela minha "rival" Chiara Mastroianni, a oficial do Biolay...

SUPLICY ME RESPONDEU

Há duas semanas atrás, quando o Avacalheiros foi absolvido no plenário, escrevi um e-mail furioso para o senador Eduardo Matarazzo Suplicy (clique aí do lado, em "Bye, Bye, Mogadon"). E não é que ele - ou alguém da sua equipe - me respondeu? Coitado, deve ter recebido uma avalanche de e-mails parecidos, de eleitores indignados com sua postura dúbia antes da eleição.
Sente só o drama:
"Recebi seu e-mail Luiz Antonio. Agradeço o apoio e envio-lhe cópia da carta de que escrevi para o jornal "Folha de São Paulo" e que foi publicada resumidamente na edição de 3ª feira, 18/9. Quero informar também que aprovamos na quarta-feira 19/09, na Comissão de Constituição e Justiça, o fim das sessões e do voto secreto. A matéria agora será julgada em plenário. Estou lutando para que sua votação seja o mais rápido possível."
Segue-se a tal da carta para a Folha, meio longa para postar aqui, onde ele se defende dizendo que "um ministro do STF não revela seu voto antes de uma votação". Pois é, senador, acontece que o senhor não é um ministro do Supremo. É um representante escolhido pelo voto direto, o MEU representante no Senado. E acontece que eu não me senti representado quando o senhor não revelou seu voto ANTES da sessão. Não adianta vir agora dizendo que votou pela cassação e que é contra o voto secreto. Minha raiva já amainou, é verdade; mas, sinceramente - e dependendo de quem serão os outros candidatos - não sei se o senhor terá meu voto na próxima eleição para o Senado. Aliás, se Deus quiser, em breve não haverá mais Senado.

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

HOLA QUE TAL

Outra semana, outra viagem internacional. Dessa vez vou pra Buenos Aires, mas não morra de inveja não - vou passar três dias trancafiado num workshop, e nenhum evento do calibre de um "Xanadu" me espera por lá. ¿Pero quién soy yo para quejarme? Muitos brasileiros detestam os argentinos (não é o meu caso), mas não conheço nenhum que não adore a Capital Federal. Ahí vengo, ¡pelotudos!

O DJ DO ABC


Hoje malhei com o novo set do DJ Guto Rodrigues, lá de Santo André, bombando no meu iPod. Começa bem tribalzão, com uma versão do "Don't Stop the Music" da Rihanna que eu não conhecia, mas depois vai ficando menos óbvio e mais sofisticado, com viradas sensacionais. Baixe você também: é só clicar aqui.

O E-MAIL DO AZAR

Há alguns anos atrás, trabalhei com uma moça que era fanática por correntes. Todo dia ela mandava uma: do Dalai Lama, do Menino Jesus de Praga, da Nossa Senhora da Medalha Milagrosa... Até que um dia eu me enchi e respondi com o e-mail do azar. Não deu outra - dois meses depois, a moça foi despedida. Reproduzo abaixo esse e-mail de destruição em massa, mas fica o aviso: ele funciona mesmo, hein? Todo cuidado é pouco. Eu mesmo nunca mais tive coragem de usar.

"Parabéns! Você acaba de receber o e-mail do azar.

Não, não é corrente; não precisa enviar pra ninguém na próxima hora. Você já vai ter uma maré de azar de qualquer jeito, não precisa nem ler esse e-mail até o fim. A maldição já pegou você, e os próximos anos vão ser absolutamente horríveis!!

Donald P. Hoover, de Pittsburgh, Pennsylvannia, recebeu o e-mail do azar e não deu bola. Naquele mesmo dia, sua casa pegou fogo, seu carro foi destruído por um elefante fugido do circo e sua mulher confessou que sempre havia sido homem.

Takeshi Nakagawa, de Osaka, foi tragado por uma tsunami ao dar a descarga no recesso de seu próprio banheiro.

Geneviève Lepage, de Grenoble, foi crucificada num poste de alta tensão pelos filhos da vizinha. Eles usaram um grampeador.

E agora tudo isto (e ainda pior) vai acontecer com VOCÊ!! Hahahaha!

E sabe por quê? Porque você me mandou uma corrente. Super fofinha, cheia de pensamentos positivos, mas que terminava com uma ameaça: se eu não a passasse adiante dentro de uma hora…

Pois é, o feitiço virou contra o feiticeiro! Agora quem vai ter azar é você.

Não está acreditando? Tá achando tudo isso uma grande bobagem? Então a sua corrente também é. Portanto…

VÊ SE PÁRA DE ME MANDAR ESSAS MERDAS!!

beijos..."

domingo, 23 de setembro de 2007

FESTA NO APÊ

Sábado que vem, aproveitando que é aniversário da The Week e a cidade vai estar cheia de forasteiros, vamos abrir os salões para um esquenta pré-Offer Nissim. Tantas coisas para comemorar... Blogueiro amigo, se você estiver por SP, dê um sinal de vida que eu te mando a pulseirinha. Traje esporte fino, hein? E pra ir entrando no clima, a abertura de uma novela de 1979, quando a maioria dos meus doze leitores ainda nem era nascida. Ronaldo Resedá rules!!

sexta-feira, 21 de setembro de 2007

PEGA UM, PEGA GERAL, TAMBÉM VAI PEGAR VOCÊ

Qual será o filme escolhido pelo Brasil para nos representar no Oscar? Aposto em "Tropa de Elite", que ontem abriu o Festival do Rio com estardalhaço. Acho que seu único concorrente possível é "Cidade dos Homens". Qualquer um dos dois tem grandes chances de emplacar entre os cinco finalistas. Correndo por fora, lááá atrás, vem o super-estimado "O Ano em que Meus Pais Saíram de Férias", que foi muito badalado na época do lançamento mas não fez o dinheiro que se esperava (sim, isso conta). Em 2006 nosso candidato foi o enfadonho "Cinema, Aspirinas e Urubus", que passou batido pela Academia. Que bom que este ano o Brasil tem uma safra mais forte e competitiva.

QUEIMANDO DINHEIRO



Consegui comprar em Nova York um DVD que nunca encontrei em Buenos Aires: "Plata Quemada", o perfeito "date movie" para um casal gay. A história do amor impossível entre os bandidos Ángel e Nene é de arrepiar os cabelos, y otras cositas más. E um deles é feito pelo Eduardo Noriega, na minha opinião O homem mais bonito do mundo. Estamos noivos, apesar dele ser hétero, morar longe, não me conhecer, blábláblá. Por favor não contem para o Biolay (meu marido Oscar já se conformou).

SE ENTREGA, CORISCO!

Se um marciano descesse à Terra e me pedisse "leve-me ao seu líder", eu não teria a menor dúvida. Conduziria o E.T. até a presença do único político brasileiro por quem sinto respeito - Fernando Gabeira. Tenho vontade de transferir meu título pro Rio só para votar nele, pois assino embaixo de tudo o que ele fala e diz. Esta semana Gabeira lançou o movimento "Se Entrega, Corisco!", para não nos deixar esquecer que o Avacalheiros continua à solta. O lance é sério, mas não perde o bom humor: seu nome remete aos antigos filmes de cangaceiro...

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

EU GOSTO É DE MULHER

Adooooro mulher – de preferência na tela do cinema, de onde ela não pode me alcançar, hahaha. Por isto já estou febril ao saber que começaram as filmagens de “The Women”, o remake do clássico de 1939. O original reunia as maiores estrelas da época: Joan Crawford, Norma Shearer, Rosalind Russell. E o atual não vai fazer feio: tem Meg Ryan, Annette Benning, Candice Bergen, Eva Mendes, Debra Messing, Jada Pinkett-Smith, Cloris Leachman, Carrie Fisher e – wuhuuu – Bette Midler!! Não há um só homem em cena (até os animais que aparecem são fêmeas), e dessa vez até a diretora e a roteirista têm falta de cromossomo Y. Mas é claro que elas só têm um assunto…

SUCESSO AQUI VOU EU

E por falar em Shitney (como diz agora o Perez Hilton): todo mundo viu aquele vídeo do fã histérico, chorando as pitangas e culpando a mídia pelo fiasco nos VMAs. Esta semana, a mesma mídia marvada revelou que o moçoilo atende pelo nome de Chris Crocker, vive com os avós no Tennessee (o que explica muita coisa) e persegue há tempos seus 15 minutos de fama. Pois dessa vez a franga se deu bem: depois de OITO MILHÕES de “hits” no YouTube, ela foi contratada por uma produtora e vai ganhar seu próprio “reality show”. É por isto que eu ainda não perdi as esperanças de também ser descoberto um dia.

BATE E VOLTA

Voltei, depois de dois dias frenéticos em Nova York. No primeiro, o popular “livre para compras”, fiz jus ao nome e estourei ainda mais os meus limites. No segundo, paguei pela viagem com uma loooonga reunião de nove horas, sem break nem para almoçar – trazem sanduíche para a sala e continua-se trabalhando. Não deu tempo de ver mais nada na Broadway, nem de visitar a Lindinalva em Piraporinha. Mas reclamar, moi? Jamais de la vie! Como diz Nonô, gimme gimme more.

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

CONFISSÕES DE UMA MACACA DE AUDITÓRIO

Acabo de chegar do teatro. Fui ver "Xanadu" na Broadway, e posso dizer com serenidade que foi a MELHOR peça de toda a minha vida. Nem posso recomendar para quem vier a Nova York, porque parece que foi tudo feito exclusivamente para mim: as músícas que conheço desde os 20 anos de idade (faz tempo), as piadas cruéis, os atores fabulosos. Cantei alto, bati palminha, incomodei os vizinhos, caguei. Nunca me diverti tanto. A própria peça se define como "teatro infantil para bichas quarentonas". Bingo.

BOLLYWOOD IN RIO

A melhor coisa da classe executiva da Delta é o serviço de "personal video": além dos sucessos óbvios do momento, você ainda pode escolher entre todos os filmes oferecidos em todas as rotas. Então tem drama coreano, comédia japonesa, e um monte de extravaganzas de Bollywood. Fiquei com "Dhoom 2", que tem cenas filmadas no Rio de Janeiro e conta a história de um ladrão de jóias lindo de morrer - ah, e é claro que é um musical. O roteiro não podia ser mais pueril e os efeitos parecem feitos com barbante e cola de farinha de trigo. Mas os atores são tão bonitos, e os números tão sensacionais, que eu não "se" segurei: preciso comprar o DVD!!

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

START SPREADING THE NEWS

I'm leaving today. I wanna wake up in a city that doesn't sleep.
It's up to you, New York, New Yoooork.

PÉROLA NEGRA

Lázaro Ramos é o melhor ator brasileiro de sua geração - e olha que sua concorrência inclui caras como Selton Mello, Matheus Nachtergaele e seu amigão Wagner Moura. Ontem o vi no palco pela primeira vez, na peça "O Método Grönholm". O texto é ótimo, o elenco idem (incluindo o tesãozinho do Ângelo Paes Leme, meu Deus, o que é aquilo?). Mas Lázaro domina o espetáculo do começo ao fim, com seu "range" impressionante e sua total empatia com o público. Ainda não fez 30, e acho que já é o ator negro brasileiro mais bem-sucedido de todos os tempos. Daqui a uns anos, aposto que vai tirar o "negro" dessa frase.

AFOGADO EM DULCE DE LECHE

Já disse que não existe música melhor para transar do que o tango eletrônico. E o novo disco do Bajofondo, "Mar Dulce" é um convite à fudelança, a começar pela capa. O coletivo comandado pelo oscarizado Gustavo Santaolalla limou o "Tangoclub" do nome e chamou gente como Elvis Costello e Nelly Furtado para os vocais em inglês. Mas as melhores faixas são mesmo instrumentais, e "Pa' Bailar" merecia tocar na buátchy. Mergulhei como se fosse um pote de dulce de leche Havanna.

sábado, 15 de setembro de 2007

RALANDO CÔCO

Antigamente, uma moça de famílía saía no jornal apenas três vezes: quando nascia, quando se casava e quando morria. Hoje em dia, dependendo do grau de desfrutabilidade, pode sair até quando troca os azulejos do banheiro. Mesmo assim, fiquei passado no azeite trufado quando soube pela "RG Vogue" de uma notícia velha, dada pelos jornais cariocas no começo do ano: Patrícia Leal, uma das mulheres mais ricas do Brasil, está namorando uma mulherrr!!! Justiça seja feita, ela sempre foi low profile, ao contrário de sua ex-sogra, a "doyenne" Carmen Mayrink Veiga - o que só torna o affair todo ainda mais saboroso. Patrícia largou do marido pela personal trainer mais non grata do Rio de Janeiro, Gisele Bazin, conhecida destruidora de lares. You go, girls! E bem-feito pro Antenor, que me batia quando éramos pequenos no gramado do clube.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

O FURADOR DE PROMESSAS

OK, OK, eu sei que mais ou menos prometi no post aí embaixo que não ia mais falar em chatices até pelo menos segunda-feira. Mas não resisti a esse comercial da agência gaúcha Paim para a Bienal B de Porto Alegre. Que de chato não tem nada, é até óbvio - e genial.

quinta-feira, 13 de setembro de 2007

ÓQUI PROCÊS

Esse blog pegou meio pesado essa semana, por causa das múmias incas, do 11 de setembro e da lambança no Congresso. Ah, quer saber? Meu koo pra isso tudo! Graças a Deus é sexta-feira, e vai todo mundo se jogar, se colocar, beijar estranhos e ver "Tropa de Elite" em DVD pirata. Vambora, rapeize, menos Renan e mais Roman - contanto que seja o Roman Heart, astro exclusivo da Falcon Studios, que enfeita meu singelo voto de um bom fim-de-semana para todos. Mwah!

SENADO PARA QUEM PRECISA

O Senado romano foi uma contribuição notável para a civilização ocidental: uma assembléia onde os grandes proprietários de terras tentavam resolver suas diferenças na conversa, antes de passarem para as vias de fato e matarem-se uns aos outros. Mas não tinha nada de democrático, e os cargos eram praticamente hereditários. Séculos depois, serviu de inspiração para a Câmara dos Lordes britânica, que hoje susbiste como penduricalho na Coroa de Sua Majestade. Esse sistema binário - uma assembléia para os nobres e outra para os plebeus - foi copiado pelos Estados Unidos, e depois por quase todo o hemisfério, Brasil inclusive. Achamos a coisa mais natural ter duas câmaras, uma "alta" e outra "baixa", com a primeira tendo poder de veto sobre a outra, e nem nos tocamos que em alguns países existe apenas um único órgão legislativo.

O fuzuê em torno de Renan Canalheiros serviu para acender a discussão: para quê precisamos mesmo de um Senado? Atenção, ninguém está sugerindo o fechamento do Congresso, mas simplesmente que adotemos um sistema unicameral. Até o PT levantou essa bandeira no último Congresso, talvez porque saia mais barato não ter que pagar mensalão a nenhum senador. De fato, o Senado brasileiro é uma curriola, um clube fechado, uma ação entre amigos. Sua representatividade é desporporcional - a longínqua e desabitada Roraima tem os mesmo três senadores que São Paulo, com uma economia maior do que a da Argentina - e seu poder é desmesurado. Não, ainda não tenho opinião formada - preciso conhecer melhor o assunto. Mas fiquei com a pulga atrás da orelha.

"LOUNGE" É UM LUGAR QUE NÃO EXISTE

A primeira vez que ouvi um disco do Café del Mar foi há uns dez anos atrás. Aquela música me soava exótica, sofisticada, misteriosa: tudo o que que queria ser quando crescer. Logo descobri o Buddha-Bar e o Hotel Costes, e virei fã de carteirinha. O "downtempo" (dá um tempo?) me seduziu com suas batidas arrastadas e vocais sussurrados em esperanto ou swahili. Hoje confesso que tenho uma certa preguiça. Sim, vou comprar o vol. 10 do Hotel Costes, porque sempre tem alguma coisa que presta. Mas o excesso de compilações, muitas repetindo as mesmas faixas, está matando o gênero: Mezzanine de l'Alcazar, Supperclub, Buddha del Mar... Sem falar no ponto mais baixo, a coleção "Jóia", com o aval daquele rei Midas ao avesso que é o Luciano Huck.

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

MARACUJÁ DE GAVETA

Ainda bem que existe a Milman, né não? Caso contrário, olha só como ficariam daqui a uns anos algumas das nossas celebridades favoritas.



Paris Hilton









Avril Lavigne



Catherine Zeta-Jones









Gwen Stefani



Justin Timberlake









Katie Holmes



Kirsten Dunst









Nicole Kidman

BYE BYE, MOGADON

O ano de 5768 começa mal. A porra do Senado acaba de absolver Renan Cowlheiros, por 40 votos a 35, com 6 abstenções. Estou com ódio e vergonha de ser brasileiro, como poucas vezes estive. Pra desabafar, mandei um e-mail para o senador Eduardo Matarazzo Suplicy, em quem sempre votei e que me representa lá. No texto reproduzo parte do post "Cow Parade", que escrevi hoje de manhã:
"Senador,

Sou seu eleitor há mais de 20 anos. Não sou petista, mas sempre votei no senhor, porque sempre me pareceu um sujeito decente. E seus atos e palavras ao longo de todo esse tempo me comfirmavam essa impressão.

Mas fiquei muito decepcionado quando o senhor se recusou a revelar seu voto com relação à cassação de Renan Calheiros. Até o Sarney teve a hombridade de revelar que iria votar contra. E o senhor, não vai prestar contas aos seus eleitores? Não me venha com a conversa de que o senhor tem compromisso com o partido e coisas que tais: seu primeiro compromisso é conosco.

Já tinha decidido a nunca mais votar no senhor, por causa de seu voto secreto. Agora, com a vergonhosa absolvição de Calheiros por 40 votos a 35, com 6 abstenções, fica claro como o senhor votou.

Adeus.

Luiz Antonio Barreto Goes"

Quem quiser escrever pra ele, aqui vai o endereço: eduardo.suplicy@senador.gov.br

E se o seu senador for outro, procure no site do senado: http://www.senado.gov.br/sf/senadores/

Essa gente precisa saber com quem está lidando.

FELIZ 5768

Não sou judeu, mas gosto de muitas coisas da cultura judaica: a culinária, o Offer Nissim, a circuncisão... (ninguém precisa me mandar "hate mail" não - também gosto dos "uncut", hehe).
E hoje ao por do sol começa o ano novo judaico, o de número 5768. Vou fazer algo que aprendi com uma amiga judia há uns anos atrás: o primeiro troço que você comer no Rosh Hashanah deve ser doce, para que o resto do ano também o seja. A tradição manda que seja maçã com mel. Como vou estar trabalhando naquela hora, acho que vou de chiclete diet mesmo. Quem sabe não passo o ano sem engordar uma grama?

COW PARADE

Hoje o Senado tem sua primeira chance de detonar Renan Cowlheiros de uma vez por todas. Não estou muito otimista. Qualquer que seja o placar, tudo indica que será apertado. E acho um acinte o senador Eduardo Suplicy se recusar a divulgar seu voto. Não sou petista, vade retro satanás, mas sempre votei no Mogadon, que me parece um sujeito decente. Até o sarnento do Sarney teve a hombridade de dizer que vai votar contra a cassação! Agora é tarde. Não voto mais no Supla senior.

terça-feira, 11 de setembro de 2007

SEX AND THE DREAMGIRL

As quatro personagens de "Sex and the City" são como os signos do zodíaco ou os arcanos do tarô: todo mundo se identifica com uma delas. Eu, com meu acentuado senso fashion e meus textos delicosamente picantes, sou uma Carrie escarrada, claro. Meu marido Oscar, para meu desconsolo, é uma autêntica Samantha. E hoje foi anunciado que uma quinta moça vai se juntar à trupe. Jennifer Hudson, que ganhou um Oscar por "Dreamgirls", vai participar do filme baseado na série, que começa a ser rodado na semana que vem. Qual será o arquétipo que ela vai encarnar? Ô crioula difícil!

O DIA EM QUE A TERRA PAROU

Todo mundo se lembra do que estava fazendo no exato momento em que soube do atentado ao World Trade Center. Eu, por exemplo, tinha acabado de chegar a uma produtora no Chile. Ninguém conseguiu mais trabalhar direito, e passamos o dia grudados na TV. No dia seguinte peguei um vôo para o Brasil, e voltei com o cu na mão.

Ali começou de fato o século 21. O mundo até que parecia ir bem, a não ser por chatices como a eleição roubada por George W. Bush (que viria a ter conseqüências catastróficas). Depois do 11 de setembro, nossa vida mudou, e para pior. Nas grandes e nas pequenas coisas, como a proibição de levar pasta de dentes a bordo de aviões.

Bin Laden não tem nada de libertador dos povos. É um fanático nascido em berço esplêndido, que sonha com a instauração do califado universal. Pena que encontrou em Bush um merda à altura. Os dois se complementam, e dão um ao outro a importância que jamais mereceriam ter. Fora com ambos, fora com todos os tipos de fundamentalismo. Morte aos radicais!

LOS NIÑOS DE LLULLAILLACO

As três crianças estavam felizes: iam encontrar o deus-sol, e ajudá-lo a proteger o império. Filhos da nobreza inca, tinham sido levados a Cusco para uma cerimônia religiosa, e agora estavam a caminho do vulcão de Llullaillaco, no que é hoje o norte da Argentina. Chegando lá, tomaram uma espécie de cerveja e adormeceram. Foram enterradas pelos sacerdotes, e morreram congeladas.

Mais de 500 anos depois, foram descobertas com assombro: são as múmias melhor conservadas de todos os tempos. Uma delas, a de uma moça de 15 anos, está exposta a partir desta semana no Museo Arqueologico de Alta Montaña, em Salta. As outras duas - uma menina de 6 e um garoto de 7 - também o serão até o final do ano, em vitrines mantidas a 0 grau Fahrenheit, o frio absoluto.

E o que isso tem a ver com meu blog, que só fala de balada e putaria? Sei lá, hoje é 11 de setembro. Tô num mood, digamos, mais antropológico. Ou então é a popular "blue tuesday"...
Quer mais? Clique aqui: www.maam.org.ar

CUSCUZ MARROQUINO

Os filhinhos de papai mostrados no filme "Marock" não são muito diferentes dos que a gente conhece por aqui: bebem pacas, fumam maconha, tiram rachas com seus carrões e tratam mal os empregados. O curioso é que eles vivem em Casablanca, e são quase todos muçulmanos. A trama até que começa bem, ameaça virar um romeu-e-julieta, e termina sem maiores conclusões. Vale mais pelos pitéuzinhos Matthieu Boujenah e Assaad Bouab - dá uma googlada neles.

INDIANA JR.

Shia LaBeouf tem nome de drag, mas é o novo queridjinho de Hollywood. O rapaz não parece grande coisa nas fotos, mas experimente vê-lo em ação: charme, carisma, talento e uma bunda durinha e definida (visível no filme “Bobby”, corre que ainda tá em cartaz). Por isso ele foi escolhido para ser o filho de Indiana Jones no quarto episódio da série, que estréia no ano que vem. Shia esteve nos VMAs domingo, e revelou o nome do filme: “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal”. Que uó, hein? Parece nome de RPG.

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

IT'S BRITNEY, BITCH

Mas será possível que a Britney Spears não tenha um pai, uma mãe, um empresário que a chicoteie e a faça entrar na linha? Como é que deixam ela se fuder de verde e amarelo em pleno "comeback" over-hypado, ontem nos VMAs? Essa garota tem problemas! Nonô errou o playback, errou a coreografia, e estava tão desanimada que parecia até ter tomado um Valium antes de entrar em cena. Madonna precisa dar umas aulas de disciplina pra sua coleguinha, senão em breve teremos mais um caso à la Anna Nicole Smith.

MORAN COM CREME

Ontem eu estava tão zoado que nem lembrei de comentar a festa Enjoy, que rolou na sexta no Vivo Rio. Foi redondinha mesmo, como já disse o blog do Ítalo. Os mais mudernos andam torcendo o nariz pro Tony Moranguinho; eu, como sou antediluviano, me sinto totalmente à vontade para dizer que rebolei ao som de todas as minhas favoritas. "Qué Hiciste", "Put Your Hands Up", "Everybody Dance" com a Deborah Cox... Até quebrei o queijo onde pulava, sinal de que tenho mais é que fazer uma Milman urgente. E o que era aquele letreiro de LED, com recados do tipo "Meu cu com fritas" e "Toda KGD"? Até fizeram homenagem a mim, olha só que meigo.
(um hugs out especial pro Clebs, que me mandou as fotinhas!)

Ô COISINHA TÃO BONITINHA DO PAI

Meu coração de pai coruja quase explodiu de tanto orgulho ao ver meu filho Duda enfeitando as páginas do primeiro número da "Junior", que saiu hoje. E justo na matéria sobre a beleza masculina em várias idades (meu filhinho representa a casa dos 30; you do the math). Só não fiquei totalmente pulverizado porque as fotos não lhe fazem justiça: quem conhece o Duda sabe que ele é ainda mais lindo em pessoa. Pudera, com uma carga genética dessas, é até covardia.

domingo, 9 de setembro de 2007

DUELO AO SOL

Até a imprensa embarcou na onda: quem será o vencedor do primeiro embate entre a X-Demente e a The Week? Afinal, todo mundo sabe, o Rio é uma cidade pequena e provinciana, sem dinheiro e sem turistas, uma tristeza de dar dó. Resultado: a X foi ótima, com um clima mais leve que o habitual. Ana Paula e Chris Cox mandaram muito bem, sem maiores pretensões. E lá pelas cinco o povo começou a se mandar pra Universal. Lá fomos nós também, e encontramos o clube ainda fervendo ao som cada vez mais pesado de Isaac Escalante. Não, nenhum dos dois lugares lotou, mas ambos estavam cheios e animados. E isso porque o verão ainda nem começou. Quase não havia gringos. Viram, seus bocós? O Rio é maior do que vocês pensavam, e está ficando cada vez melhor.

MEU NOIVO SECRETO

Benjamin Biolay e eu estamos noivos. Ele é hétero, casado, mora a milhares de quilômetros de distância e não faz a menor idéia de quem eu seja. Mas não importa: eu soube que estávamos prometidos um para o outro desde que o ouvi pela primeira vez, em 2002. Esta semana sai na França seu novo disco, "Trash Yé Yé" (que diliça de nome), e eu vou esquadrinhar cada faixa em busca de mensagens secretas para mim. Também preciso dar um jeito de eliminar Chiara Mastroianni, a filha de Catherine Deneuve, que insiste em se interpor entre nós dois. Biolay é o maior nome da novo pop francês, e herdeiro espiritual de Serge Gainsbourg. E eu sou seu maior fã ao sul do Equador. Somos o casal perfeito. É só uma questão de tempo.

quinta-feira, 6 de setembro de 2007

PARABÉNS PARA A "G"

É engraçado ver as 120 capas da "G Magazine" todas juntas, numa matéria na edição do 10o. aniversário da revista. Quantas lembranças, quantos filhos que não tive... Contei 9 ex-BBB, 6 ex-Casa dos Artistas, inúmeros pagodeiros, funkeiros, bailarinos, jogadores de futebol, modelos-e-atores. Sinal do preconceito que ainda cerca a "G" é que a carreira de ninguém de fato deslanchou, como costuma acontecer com as que posam pra "Playboy". Théo Becker e Miguel Kellner conseguiram pequenos papéis em novelas, mas já saíram do ar. Rodrigo Pavanello, meu favorito de todos os tempos, até que fez algum sucesso em "O Profeta", mas suas fãs adolescentes nem suspeitam que ele já saiu de pau duro numa revista gay. E os dois ícones maiores, Alexandre Frota e Matheus Carrieri, hoje sobrevivem fazendo filmes pornô.

Saí duas vezes na "G" - nenhuma "au naturel", não se assanhem. A última foi em agosto de 2006, numa matéria que o Renato Fernandes fez sobre "os anfitriões de São Paulo". E a primeira foi sem direito a foto, e sob pseudônimo: Antonio Barreto (meu sobrenome do meio, que pouca gente conhece). Mandei um conto pornográfico pra revista, e eles publicaram!! Saiu na edição de dezembro de 1999, aquela que tem os Papai Noéis de sunga na capa. E que acaba de ver sua cotação subir no mercado negro, hehehe.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

HAJA VIAGRA

A HBO domina minhas noites de domingo. Primeiro fui escravo de “Roma”; depois, fui refém da “Família Soprano”. Agora estou de casamento marcado com a segunda temporada de “Amor Imenso” (“Big Love”), que estréia no próximo dia 9, às 21 horas. Pra quem não sabe, a série é sobre uma família poligâmica: um homem casado com três mulheres ao mesmo tempo, mais uma porrada de filhos. Já pensou que inferno, três rachas enchendo seu saco, 24 horas por dia? A mais divertida de todas é Chloë Sevigny, que faz a complicada esposa “do meio”, sem os privilégios da primeira nem o xodó da terceira. Pra se vingar, ela detona o cartão de crédito…

MONTEVIDEANOS PASSEIAM EM SUA GAROA

Jorge Drexler é o filho uruguaio que Chico Buarque ou Caetano Veloso não conseguiram ter no Brasil. Nenhum “cantautor” nacional surgido nos últimos 20 anos é páreo para ele - nem em qualidade das canções, nem em empatia com o público. O show que vi ontem no SESC Pinheiros não podia ser mais despojado: um violão, uns efeitos eletrônicos, e só. Ah, e a platéia pedindo suas favoritas e cantando junto, num espanhol espantosamente castiço. O Oscar de melhor momento foi pra versão milongueira de “Sampa”, rica como un postre chajá.

terça-feira, 4 de setembro de 2007

“KALA” QUE EU TE ESCUTO

A receita do novo CD da singalesa M.I.A. é de dar água na boca: um masala de hip hop, funk carioca, samples de Bollywood e até mesmo o onipresente Timbaland. Só que às vezes o cozimento desanda, e o que era pra ser empolgante fica apenas barulhento. Mas quando ela acerta o ponto é sublime, como na faixa “Jimmy” (rimou!).

COMO ERA DOCE O MEU VALE

De todas as patacoadas proferidas durante o congresso do PT na semana passada, a que mais me eriça os cabelos da nuca é a tal do plebiscito para “rever” a privatização da Companhia do Vale do Rio Doce. O PT e grande parte das esquerdas querem estatizar o Brasil inteiro, mas não é para que o “povo” seja o patrão. É para transformar tudo em cabide de empregos para apaniguados sem a menor qualificação técnica, desviar verbas públicas e se entranhar ainda mais no poder. Ecaaa.