sábado, 13 de agosto de 2022

ELA, TÔNIA

Tônia Carrero faria 100 anos este mês. Para marcar a data, o Itaú Cultural montou uma exposição (ou "ocupação", como eles dizem) em sua homenagem. Meu marido e eu, fãs de carteirinha, fomos logo no primeiro dia. Ele a conheceu razoavelmente bem e fez até papel de seu filho num filme. Eu tive um único contato direto, em 1996, em que ela confirmou que sim, é dela o perfil da República que ornava as antigas moedas brasileiras (a Casa da Moeda não diz que sim nem que não). A mostra tem vídeos, fotos, posters, figurinos e prêmios ganhos pela diva, mas não cobre direito sua carreira toda. A ênfase recai sobre os primeiros anos, e há mais destaque para o teatro e o cinema do que para a televisão. Mas também há toda uma seção dedicada ao ativsmo político de Tônia. Quem a associa à imagem de dondoca alienada talvez se surpreenda ao saber que ela peitou a ditadura militar e foi um voz potente contra a censura, no final da década de 60. Claro que a mostra inclui a fabulosa foto em que ela aparece, numa passeata, de mãos dadas com Eva Wilma, Odete Lara, Norma Bengell e sua amiga & ryval Cacilda Becker, todas arrasando em minivestidos estampados (em outras imagens daquele dia também aparecem Eva Todor e Leila Diniz).
Mas Tônia também cultivava a imagem de estrela glamurosa. Meu marido conta que ela desembarcou em Gramado, para participar do festival de cinema, com singelas nove malas. Tiveram que alugar um carro a mais para levar todas para o hotel. Detalhe: só uma estava cheia. As oito vazias viajaram só para garantir as manchetes dos jornais.

sexta-feira, 12 de agosto de 2022

MR. SANDMAN, BRING ME A DREAM

Descobri Neil Gaiman tardiamente. Minha aversão a super-heróis fez com que eu jamais tenha lido uma única HQ escrita por ele. Mas gostei bastante da série "American Gods", bruscamente interrompida depois de três temporadas, e adorei "Sandman", que terminei de ver ontem à noite. A versão da Netflix irritou os reaças porque vários personagens mudaram de raça e/ou gênero, mas o próprio Gaiman lembrou a todos que estamos em 2022. O protagonista, para quem não sabe, é uma entidade chamada Morpheus, um deus não-onipotente que controla os sonhos e os pesadelos da humanidade. Sandman, como ele é mais conhecido pelo povão, é também um personagem infantil no mundo anglófono, que joga areia nos olhos das crianças para que elas sintam sono. Gaiman é chegado em criar mitologias: os irmãos de Sandman, ou o Sonho, são a Morte, o Desejo, o Desespero e a Destruição, todos com nomes que começam com D em inglês. O melhor episódio é o 6, que pode ser visto sozinho: ali é contada a história do homem que Sandman e a Morte resolveram tornar imortal, só para ver se ele não iria enjoar da vida. E a melhor cena é o já folclórico embate entre Sandman e Lúcifer, vivido pela gigantesca Gwendoline Christie. Pena que os memes tragam spoilers.

quinta-feira, 11 de agosto de 2022

O DIA DA CARTA

O dia de hoje vai entrar para a história? Provavelmente. A Carta às Brasileiras e Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito só será um fracasso, como apostam alguns leitores deste blog, se o Biroliro der um golpe militar bem-sucedido e se mantiver no poder mesmo perdendo as eleições. Qualquer uma das outras duas possibilidades - a) não haverá tentativa de golpe e b) haverá, mas não dará certo - mostrará que o quase milhão de signatários estavam certos em mandar esse recado eloquente às Forças Armadas. Sim, porque este é o objetivo da Carta: avisar os milicos que eles não terão o apoio da maior parte da sociedade, inclusive do grande capital, se arriscarem uma quartelada. Não, queridos, a Carta não é uma arma eleitoral. Não vai convencer ninguém a mudar de voto - até porque eu duvido muito que algum minion tenha assinado, inclusive porque eles têm sérias limitações na compreensão de textos. Mas é um sinal de que a sociedade não está tão apática quanto se pensava, e que o Bozo está cada vez mais isolado.

GUEDES EM CHAMAS

Entre as milhares de coisas boas que acontecerão quando o Bozo se for, a transformação de Paulo Guedes em cinzas está entre as melhores. O ex-Posto Ipiranga costumava ser apontado como um quadro técnico, mas não só é tão ideológico como seu chefe como igualmente grosseiro. Além de incompetente, é claro: sob sua guarda, a economia brasileira caiu do 8o. para o 13o. lugar entre as maiores do mundo, a fome voltou e a inflação disparou. Por que alguém achou que esse sujeito, sem a menor experiência na administração pública, seria um bom ministro? Só porque ele enriqueceu? Além do mais, Guedes é um desastre político. Criou desgastes desnecessários para o governo ao reclamar que as empregadas doméstica estavam indo para a Disney e os filhos dos porteiros, fazendo faculdade. Endossou as escrotices do Bozo contra Brigitte Macron, e agora ofendeu novamente os franceses, ao dizer que eles não podiam criticar o Brasil pelas chamas na Amazônia por causa do incêdio da Notre Dame. O pústula se esquece de que a Amazônia está queimando pela ação proposital do troglonegócio apoiado por ele, e que a catedral de Paris ardeu por acidente, que gerou um trauma nacional. Ainda ameaçou a França, dizendo que ela está se tornando irrelevante para o Brasil. Irrelevante será ele, daqui a pouco.

quarta-feira, 10 de agosto de 2022

SOBRETUDO, NÃO SEJA VOCÊ MESMO

"Tralala" sofre de um defeito imperdoável para um filme que se quer musical: as músicas são horríveis. E quisera Deus fosse este o único defeito. A direção dos irmãos Arnaud e Jean-Marie Larrieu é tão frouxa quanto o roteiro, que desperdiça uma boa ideia: um músico de rua sem eira nem beira se faz passar por um homem desaparecido há 20 anos, sendo recebido com festa pela família deste. Boa parte da ação se passa em Lourdes, a Aparecida do Norte francesa, mas o aspecto místico e religioso da cidade - sua própria razão de ser - é praticamente ignorado. Poderia ser um lugar bonito qualquer, com lagos e montanhas. Nem o elenco se salva, e olha que é composto por atores bem conhecidos na França. Só gostei de uma fala-chave, que serve de slogan para esse fiasco cinematográfico e também de título para o post.

BRASILEIRAS E BRASILEIROS

Amanhã, às 11 e meia da manhã, a Carta às Brasileiras e Brasileiros em Defesa do Estado Democrático de Direito será lida na Faculdade de Direito d USP, no Largo de São Francisco, e em dezenas de universidades pelo Brasil afora. Mas hoje já rolou um spoiler, com nomes do showbiz declamando trechos daquilo que o Bozo chamou de "cartinha". Antes que algum bezerro desgarrado venha menosprezar a presença de Anitta, convém lembrar que banqueiros e empresários  também assinaram a Carta, mandando aos golpistas o sinal de que eles não terão o apoio do grande capital. E você, ainda não assinou?

terça-feira, 9 de agosto de 2022

A RAINHA DOS CONDENADOS

O Brasil já teve ótimas primeiras-damas. Nair de Teffé, mulher de Hermes da Fonseca, foi a primeira cartunista do país e lançou modas como a calça comprida para mulheres e o violão nos bailes da alta sociedade. A socióloga Ruth Cardoso teve papel fundamental na criação do Bolsa-Escola, embrião do Bolsa-Família. Mas também tivemos a folclórica Dulce Figueiredo, que se jogava nas boates sem o marido enquanto a hiperinflação devastava os salários, e a cafona Rosane Collor, suspeita de desviar fundos de ONGs para o próprio bolso. Só que nenhuma delas se compara em ruindade a Micheque Biroliro, uma mulher ignorante que se jacta de sua ignorância. Pior: ao se engajar na impossível campanha de reeleição de seu marido, ela revela o mais reles fanatismo e ainda investe contra as religiões de matriz africana, um crime comum entre os neopentecostais. Já que não pode falar em luta contra a corrupção nem alardear qualquer benfeitoria do Bozo, a Dama do Cheque apela para uma suposta luta do bem contra o mal. Pena que só os néscios não percebam de que lado o mal está. Quer uma prova? Micheque foi pregar na Igreja da Lagoinha em Belo Horizonte. A mesma onde é pastor o psicopata impenitente que matou Daniella Perez.

E POR QUE NÃO O CORPO DE BOMBEIROS?

O Brasil errou feio quando se redemocratizou, no início da década de 80. Os milicos responsáveis por mortes e torturas deveriam ter sido todos presos, julgados e condenados, como aconteceu na Argentina. Também não extirpamos das Forças Armadas a ideologia nefasta de que elas são mais competentes que os civis em tudo. O resultado está aí: golpistas incompetentes ameaçando melar as eleições, colocando em dúvida as urnas eletrônicas sem um fiapo de prova e apoiando um arruaceiro que as próprias FFAA expulsaram um dia. Não há democracia no mundo em que os militares garantam a lisura das eleições. O TSE faz muito bem em rechaçar os avanços desses trogloditas, que no fundo só querem garantir suas mamatas. Por enquanto, só conseguiram prejudicar a própria imagem. O antigo prestígio dos milicos brasileiros está evaporando, diz uma pesquisa que foi divulgada esta semana. De fato, esses supostos especialistas em logística, que mandaram para o Amazonas vacinas que iriam para o Amapá, não têm o menor direito de se arvorarem em guardiães da moral e dos bons costumes. Corporação por corporação, os bombeiros vêm prestando serviços muito mais relevantes à população, a um custo muito menor. Por que não chamar os valorosos soldados do fogo para vigiar as eleições, então? Porque nossas eleições não precisam da tutela de ninguém. Simples assim.

segunda-feira, 8 de agosto de 2022

HAVE TO BELIEVE WE ARE MAGIC

Nunca fui grande fã da Olivia Newton-John. Jamais comprei um único de seus álbuns, mas, sendo jovem na virada dos 70 para os 80, é claro que muitas de suas músicas marcaram a minha vida. Não tenho muito mais a acrescentar sobre Olivia além do que já escrevi na Folha - hmm, talvez o fato de ela não ter se vacinado contra Covid-19, o que é execrável? Deixa pra lá, hoje é dia de celebrar sua vida. Como já postei o vídeo de "Physical" muitos anos atrás, aqui vão dois outros, tirados da trilha sonora de "Xanadu". Um dos piores filmes de todos os tempos que, não obstante, gerou a melhor peça musical que eu vi na vida (quem lia esse blog lá por 2007 talvez lembre de como eu era obcecado). Então vamos lá: And if all your hopes survive / Destiny will arrive / I'll bring all your dreams alive... (agora baixa a voz e faz cara de sexy) ...for you...   

ELA ESTÁ DESCONTROLADA

Damares Alves está com o modo desespero ON. A ex-ministra da Repressão aos Direitos das Minorias foi abandonada por Biroliro no palanque do Distrito Federal, que preferiu apoiar Flávia Arruda ao Senado. Tentando fazer sua candidatura pegar no tranco, Damares usou uma cartilha produzida no governo Lula para usuários de drogas e profissionais de saúde, que nem sequer foi publicada. A mentirosa ignora o público-alvo do material, passa por cima do conceito de redução de danos, consagrado internacionalmente, e vende a falsa ideia de que a meta era aliciar crianças não só para os tóxicos, como também para o crime organizado. Jesus em pessoa vai descer da goiabeira para punir esta cristã de araque. Mas um outro castigo virá antes, em outubro.
 

domingo, 7 de agosto de 2022

PECADO CAPITAL

E de repente pipoca na Amazon Prime Video um filme de que eu nunca ouvi falar, com elenco impressionante. "Georgetown" é dirigido pelo duplamente oscarizado Christoph Waltz, que também assina a direção. Ele faz um oportunista que dá o golpe do baú numa viúva com um certo dinheiro e muita influência em Georgetown, o mais rico subúrbio de Washington. Vanessa Redgrave não ganhava um papel tão grande no cinema há muitos anos, e impressiona tanto nas cenas em que resplandece elegantérrima como naquelas em que surge toda encarquilhada, de rede na cabeça. Annette Bening interpreta sua filha, que percebe de longe a fria em que a mãe se meteu. O longa é baseado num caso real que abalou a capital americana na primeira década deste século, e que o desligado aqui tampouco conhecia. Foi melhor assim: assisti a este pequeno thriller num estado de total ignorância, que caiu bem numa noite fria de sábado.

sábado, 6 de agosto de 2022

DUAS RAINHAS

Beyoncé e Madonna abalaram o universo das divas beeshas ontem à noite, com o lançamento-surpresa de "Break My Soul (The Queens Remix)". Trata-se de um mash-up do single da Queen B com "Vogue" da Queen M. Ouvindo com fones, dá para perceber que Madge nem saiu de casa: todas suas intervenções na faixa vêm da gravação de 32 anos atrás. Mas Beyoncé traz vocais novos, trocando os ícones de Hollywood do rap original por cantoras negras. Sinto informar que a Anita citada não é a nossa, mas sim Anita Baker, que fez muito sucesso com baladonas nos anos 80 (confira na letra quem é quem, é só clicar nos nomes). Infelizmente, a faixa não está disponível em nenhuma plataforma de áudio. Quem quiser possuí-la precisa comprar diretamente do site da Beyoncé, pela módica quantia de US$ 1,29. A música então é enviada para o seu e-mail. Já estou com ela no meu celular, mas não consigo de jeito nenhum incluí-la no Apple Music. Alguma alma caridosa sabe me ensinar o que fazer?

sexta-feira, 5 de agosto de 2022

O GORDO VIVE

Ontem eu tive insônia, por causa da sessão de químio que fiz na quarta. Tomei um remedinho e capotei. Acordei às 10 da manhã com meu celular em chamas: tanto o editor da Ilustrada quanto a editora do F5 queriam textos meus sobre Jô Soares, que nos deixou na manhã desta sexta. Pulei da cama atordoado, engoli dois cafés em sequência e produzi duas colunas na maior vula. O difícil foi encontrar um novo ângulo para falar do Jô: àquela altura, colegas como Cristina Padiglione e Maurício Stycer já haviam esquadrinhado toda a carreira desse pilar da cultura brasileira. Consegui, apelando para a memória afetiva gerada por tantos anos de convivência virtual com o gordo. Para o blog, sobrou uma historinha ainda mais pessoal. Meu único contato direto com Jô  Soares foi em 2018. A Folha havia me escalado para escrever uma resenha de seu segundo livro de memórias, "O Livro de Jô", escrito em parceria com Matina Suzuki. A Companhia das Letras me mandou uma cópia-teste, ainda sem a capa definitiva. Alguns dias depois, houve um debate sobre o livro seguido por uma sessão de autógrafos, aqui em São Paulo. Levei o meu volume, me apresentei como crítico do jornal e consegui que o próprio Jô me fizesse uma linda dedicatória. Alguns dias depois, emprestei a biografia para meu marido, que ia de viagem para o Rio. E o que foi que o desgraçado fez? ESQUECEU O LIVRO AUTOGRAFADO PELO JÔ SOARES NO AVIÃO. É ou não é caso para justa causa?

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

MOLON NA CABEÇA

A frente ampla pelas Diretas-Já, em 1984, só conseguiu se formar porque seu núcleo era o MDB, que sempre foi um saco de gatos. Conseguiram conviver no mesmo palanque nomes tão diversos como Tancredo, Lula, Brizola e Sarney. Hoje, o PT tem dificuldades em montar algo parecido para derrotar o Bozo, porque no fundo o partido só pensa em si mesmo. É inacerditável que o diretório fluminense tenha ameaçado não apoiar mais Marcelo Freixo para o governo do estado do Rio, entregando a reeleição de mão beijada para o infame Claudio Castro. Os aloprados já voltaram atrás na decisão, mas insistem em manter André Ceciliano como a candidato a senador. O atual presidente da Alerj é um sabonete político, tem acusações de rachadinha no currículo e está muito atrás nas pesquisas. A coisa piora quando sabemos que o companheiro de chapa de Freixo é ninguém menos que Alessandro Molon, seu correligionário no PSB. Além de compartilhar do ideáriáo progressista, Molon é simplesmente um dos deputados federais mais honestos e competentes do país, e chega a empatar com Romário em algumas pesquisas. Fora que é um gato...

GAY SEX AND THE CITY

Às vezes eu me pergunto o que me aconteceria se eu voltasse a ser solteiro aos quase 62 anos de idade. O que posso esperar além do Caneca de Prata, o tradicional bar dos cacuras no centro de São Paulo? É certo que muito garotinho curte um senhor mais velho (e mais rico), mas são eles que não fazem o meu gênero. E aprender a navegar pelo Grnd'r e quejandos, a essa altura, me parece mais difícil do que jogar Minecraft. Esses dilemas geracionais atingem em cheio o protagonista de "Uncoupled", nova série da Netflix. Michael é um bem-sucedido corretor de imóveis casado há 17 com um financista mais bem sucedido ainda. Um belo dia, o cara faz as malas e se manda, sem maiores explicações. Solteiro de uma hora para a outra, Michael divide seu tempo odiando o ex e recusando todos os excelentes partidos que pulam em seu colo. Todo mundo tem defeito: um usa PrEp, que Michael nem sabe direito o que é, outro é pegajoso, outro aperta a pasta de dente de qualquer jeito. São todos lindos e mortos de tesão pelo nota 6 Neal Patrick Harris (que pra mim tem cara de duende), e sempre cabe a elae dispensar os interessados. Não leva um único não, o que torna antipático e algo irreal. Além do mais, parece pouco disposto a experimentar novidades e a entender que o mundo mudou. Mesmo assim, há boas piadas, e uma jornada emocional interessante. O showrunner Darren Star repete, mais ou menos, o esquema que criou para sua obra-prima "Sex and The City", cercando Michael por três grandes amigos - um deles, inclusive, promíscuo e insaciável como a lendária Samantha. "Uncoupled" também extrai o máximo de glamour de Nova York, que surge resplandecente, habitada só por gente rica e sem um único homeless à vista. Não passa nem perto em explorar a solidão e a angústia das guei da meia idade, mas não é bem isso o que a gente espera de uma sitcom.

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

PSYCHO KILLER, QU'EST-CE QUE C'EST?

Acabei de assistir ao quarto episódio da ótima série "Pacto Brutal", da HBO Max, e cheguei a uma conclusão óbvia: o ex-ator que cometeu o crime, hoje pastor evangélico e defensor do Biroliro, é um psicopata que só quer holofotes, não importa de onde venham. Ele estava radiante na cadeia e deve estar ainda mais radiante agora, quando seu nome voltou a frequentar a mídia. O vídeo que ele gravou pedindo perdão a Gloria Perez é só isso: mais uma tentativa de aparecer, de ganhar seguidores, de continuar famoso. A série deixa claro que o assassinato de Daniella foi um ritual satânico, o que torna o caso ainda mais repugnante. Tudo indica que foi ela quem matou a atriz, a punhalada, enquanto o marido a segurava. Mas, ano contrário do ex-marido, a assassina preferiu sumir. De qualquer forma, não vou citar aqui o nome de nenhum deles. Não quero que maluco google seu próximo nome e depois se regozije de se ver citado no meu prestigioso blog.

CARA-DE-PAU E SEM CARÁTER

Se tivesse um pingo de raciocínio estratégico, Biroliro já teria assinado a carta da USP pela democracia. Afinal, não é ele que jura que faz tudo "dentro das quatro linhas da Constituição"? Assim, desarmaria os críticos e amenizaria o impacto negativo do documento, que já tem 700 mil adesões. Mas como ele só joga para o cercadinho, preferiu chamar de "cara-de-pau" e "sem caráter" quem já assinou. Dois epítetos, aliás, que servem como luva para o sujeito que se aliou ao Centrão e foge de qualquer responsabilidade. É por isto que eu tenho fé não só na vitória do Lula em outubro, como também no fracasso do golpe que o Edaír sonha em dar. Além de cara-de-pau e sem carater, ele ainda é burro para caralho.

terça-feira, 2 de agosto de 2022

TAIWAN, EU FIZ TUDO PRA VOCÊ GOSTAR DE MIM

Nancy Pelosi desembarcou em Taiwan. Para fazer o quê, exatamente? Melhorar a própria imagem e garantir a reeleição em novembro. É certo que a presidente da Câmara dos Deputados americana tem um longo histórico de críticas à China, mas uma viagem dessas, num momento desses, não chega nem a ser uma provocação. É só um golpe de marketing em benefício próprio. Mas também é uma cartada interessante. Beijing promete uma furiosa reação militar, mas a cúpula do PC não é besta de começar uma guerra num momento desses, contra um inimigo desses. Além de ter bilhões de dólares investidos em Taiwan, a China corre o risco de alienar os mercados da Europa e dos EUA, seus maiores clientes. Vai ficar tudo por isto mesmo.

QUEREM PARAR A PARADA

Pronto. Já estão usando a varíola dos macacos para justificar a homofobia. Um vereador de Sorocaba, cujo nome não sujará esta postagem, quer cancelar a 15a. Parada LGBTQIA+ de Sorocaba sob o pretexto de evitar que o vírus da doença se espalhe pela cidade. Curioso que ninguém fala em cancelar show sertanejo, micareta ou carnaval. Mais curioso ainda é o sujeito fazer parte da mesma galera negacionista que foi contra o isolamento social por causa da Covid-19, muito mais contagiosa. A vereadora petista Miriam Algarra está com um abaixo-assinado contra esse absurdo em seu site. Vai lá, não custa nada assinar. E vamos ficar de olho: por todo o país, políticos reacionários estão tentando proibir as paradas gays.

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

TEMPO TEMPO TEMPO TEMPO

Hoje faz um ano que dei entrada no hospital. No dia seguinte, eu passaria por uma operação para retirar um tumor do intestino. Na época, não entrei em maiores detalhes aqui no blog: só disse que estava com uma obstrução intestinal, o que não deixava de ser verdade. Mas era câncer. A cirurgia foi um sucesso e eu nem precisei ir para a UTI. Voltei para casa seis dias depois, e comecei a fazer quimioterapia em meados de setembro. O primeiro tratamento começou bem, depois estacionou, depois parou de funcionar. Mudei de protocolo - é assim que chamam - e, desde o final de maio, uma nova droga foi incluída no mix. Graças a ela, meus marcadores cancerígenos vêm despencando, e hoje fiz duas tomografias para saber como andam as coisas lá dentro. Não tem sido fácil, é óbvio, mas meus perrengues são um passeio no parque perto do que muita gente passa por aí. Finalmente meu cabelo ficou ralo, e a pele ultra seca me obriga a me lambuzar de hidratante todo dia, o que eu detesto. Não sei se recuperarei minha lendária beleza, mas tô nem aí. E vamo que vamo.

MARAVILHA DE MULHER

Eu fui um dos roteiristas do terceiro Teleton do SBT, no já distante ano 2000. O programa daquele ano ainda durava mais de 24 horas, e imitava a grade de programação de uma TV aberta: grandes shows à noite, atrações infantis de manhã e, na madrugada, uma edição especial do Erótica MTV sobre sexo entre portadores de deficiência. Uma das nossas convidadas era a Mara Gabrilli, que ainda não tinha se lançado na política mas já era uma ativista da causa dos PPD. Mara havia acabado de posar para um ensaio sexy para a revista Trip, com o objetivo de lembrar ao mundo que os cadeirantes também são seres sexuais. A ideia era tão bacana e ousada que ela disparou no meu conceito e lá continua desde então. Hoje saiu a notícia de que Mara Gabrilli será a vice na chapa de Simone Tebet pela Presidência da República. Muito legal termos duas mulheres porretas no páreo, mas pena que elas não irão muito longe. Esta eleição, na verdade é um plebiscito: você quer que o Brasil continue uma democracia, ou prefere uma ditadura chefiada pela familícia? É por isto que, pela primeira vez na minha vida, irei votar no Lula.

domingo, 31 de julho de 2022

BODY HORROR

Nem precisava aparecer o nome de David Cronenberg nos créditos de "Crimes do Futuro". Apesar do "body horror" estar na moda, nenhum outro cineasta vai tão longe nas imagens de mutilações, cortes profundos e cicatrizes em geral. Seu primeiro longa em oito anos fala de um artista performático que sua cirurgias plásticas para se expressar. Em uma de suas próximas apresentações, ele deve fazer a autópsia ao vivo de um garoto que foi sufocado pela própria mãe, com um travesseiro. Cronenberg cria um mundo delirante em torno dessa premissa, mas bastante coerente até. Porque ele está falando, na verdade, da nossa fascinação pelo escabroso e pelo sofrimento alheio. Filmado na Grécia, "Crimes do Futuro" passou no último Festival de Cannes, mas não levou nada - o júri deve ter achado que estaria repetindo o prêmio de 2021 para "Titane", nitidamente influenciado por Cronenberg. Mas é um filme que deve ser visto, pois levanta uma discussão atual. Só que tem que ter estômago.

REBOTALHOS CARIOCAS

Nunca foi segredo que, no Brasil, só os pobres vão para a cadeia. Se alguém da elite vai em cana, logo seus advogados dão um jeito de soltar. Se for um político corrupto, então, nunca demora para aparecer um juiz compreensivo, disposto a devolver ao ladrão os direitos perdidos. No Distrito Federal, José Roberto Arruda poderá concorrer novamente a governador, apesar de ter sido flagrado com a mão na massa. São Paulo corre o risco de ter ninguém menos que Eduardo Cunha, o mais vilanesco presidente da Câmara de todos os tempos, como candidato a deputado federal. Cunha esteve ontem na convenção dos Republicanos declarando apoio a Tarcísio e Biroliro - que, se tivessem algum miolo, rechaçariam esse bandido comprovado. Ele não é o único rebotalho carioca que mudou seu domicílio eleitoral para SP: a abjeta Cristiane Brasil, filha do ainda mais abjeto Roberto Jefferson, também quer se candidatar por aqui. Votando nesses criminosos, paulista nenhum tem o direito de dizer que nordestino não sabe votar.

sábado, 30 de julho de 2022

FABÍOLA DOS MACACOS

Nunca imaginei que, além da AIDS, eu viveria para testemunhar o surgimento de uma segunda peste gay. É o que a varíola dos macacos está se tornando na cabeça de muita gente. Afinal, já tem muita biba infectada, e um médico de São Paulo se recusou a atender um paciente homossexual. O pior é que não adianta usar camisinha. A nova doença se espalha pelo simples contato com a pele. Na imensa maioria dos casos, não costuma ser grave, mas já temos um morto. Um paciente oncológico, que estava fazendo quimioterapia e, portanto, andava com a imunidade baixa. Eu, que sigo invicto quanto à Covid graças a quatro doses de vacina e dez de paranoia, tenho mais um motivo para ficar assustado. Aliás, temos todos: o medo costuma ser um bom profilático.

EMMA GEME

Emma Thomspon é um ano e meio mais velha do que eu. Sua personagem em "Boa Sorte, Leo Grande", é sete anos mais nova. Somos todos da mesma geração, que era criança nos primeiros anos da revolução sexual e pré-adolescente quando o movimento hippie atingiu seu auge. Por isto, não faz muito sentido que Nancy Stokes, a protagonista vivida por Emma no filme "Boa Sorte, Leo Grande", chegue a essa idade tendo transado com apenas um homem em toda sua vida, seu finado marido. Seria mais crível se ela fosse da geração anterior, das nossas mães, e a história da viúva que contrata um garoto de programa se passasse uns 20 anos atrás. O objetivo dela é finalmente ter um orgasmo. Fico me perguntando que tipo de educação a coitada teve, pois jamais tocou em si mesma. Dito isto, "Boa Sorte, Leo Grande" é um filme simpático, que talvez funcionasse melhor como peça de teatro. Toda a ação se passa entre quatro paredes, durante os quatro encontros entre o profissional do sexo e sua cliente. Ela morre de medo e vergonha, e ele é tão perfeito que não pode ser real (e não é). Os diálogos deixam claro que este é um longa escrito e dirigido por mulheres, tendo a mulherada de meia idade como público-alvo. Também é para elas que Emma Thompson exibe um glorioso nu frontal, assumindo seu corpo do jeito que ele é.